PROBLEMAS COM SUA DOAÇÃO?

1DOAÇÕES VIA BOLETO:
Caso não tenha recebido o boleto, favor checar sua caixa de SPAM. Para emitir uma segunda via basta clicar no link recebido que será atualizado automaticamente sem juros ou multa.
2 DOAÇÕES VIA CARTÃO:
Caso tenha recebido uma mensagem de que o cartão não foi processado, não se preocupe. Pode atualizar os seus dados via sistema automaticamente em uma plataforma totalmente segura.
3 DOAÇÕES ESPORÁDICAS:
Se você gosta de doar sem data e valor certo, basta preencher o nosso cadastro como OFERTA ÚNICA. Assim não haverá recorrência mensal na cobrança. Tudo pode ser feito via sistema também.

Caso a sua dúvida em relação a DOAÇÃO ainda não tenha sido solucionada, consulte nossa FAQ. Muito obrigado!

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à sexta:
Da 9:00 às 17:00h

Telefone:
41 | 3243-7600

E-mail:
contato@cfan.org.br

Jesus e Sua Obrigação

by Evangeslista Reinhard Bonnke / CfaN Latin America / Estudos Bíblicos
Bonnke e Kolenda

O Grego usa um verbo impessoal, dei, o qual é usado 105 vezes no Novo Testamento.

Somente uma vez isto significa uma necessidade física. Em todos os outros casos a necessidade moral e emocional está implícita. Cada vez o texto indica o senso do Senhor do que Ele tem que fazer, uma obrigação – o Seu propósito de estar na terra é antes que uma mera necessidade física.

Vamos olhar para este relato de Jesus em Samaria. A situação está resumida no verso abaixo. A Versão King James lê, “Ele necessita ir a Samaria,” e a Versão em Grego usa um verbo impessoal, dei, o qual é usado 105 vezes no Novo Testamento. Somente uma vez isto significa uma necessidade física. Em todos os outros casos a necessidade moral e emocional está implícita. Cada vez o texto indica o senso do Senhor do que Ele tem que fazer, uma obrigação – o Seu propósito de estar na terra é antes que uma mera necessidade física. Lemos, por exemplo:

“…o Filho do homem padecesse muitas coisas,” (Mc. 8:31).
“É necessário que… eu anuncie o evangelho do reino de Deus;” (Lc. 4:43).
“Importa que façamos as obras daquele que me enviou,” ( Jo. 9:4).
“Importa que o Filho do homem seja levantado” (Jo. 12:34).
“…era necessário que ele ressurgisse dentre os mortos.” (Jo. 20:9).
Para Jesus, o trabalho de salvação dos homens e mulheres não era mais para ser ignorado do que o fato de que Ele uma vez estava com Deus. Este trabalho era Seu. Ele não somente salva, Ele era a salvação. Como o fogo é para aquecer, Cristo é para Salvação. Evangelismo era para Ele uma verdade categoricamente imperativa. Jesus disse que Sua “comida” era fazer a vontade de Deus. Mais tarde Ele disse que Ele havia mandado os discípulos para fazer as coisas que Ele fizera:

“Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviarei ao mundo.” (Jo. 17:18).
“…assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.” (Jo. 20:21).

João não atribuiu obrigação do evangelismo da mesma maneira que os sinóticos Evangelhos, mas não obstante isto é presente por todo o livro de João, ambos latente e potente.

A Obrigação dos discípulos
Os discípulos são mandados ao mundo – a um mundo que era, e ainda é, hostil e não reabilitado. A Igreja hoje deve preocupar-se não meramente com o “crescimento da igreja,” o que pode parecer com o crescimento de um negócio, namorando os fregueses de outras pessoas. Alguém disse que somos chamados para sermos pescadores de homens, e não mantenedores de aquários, pescando peixe do aquário de outras pessoas.

A Igreja na América tem uma piscina religiosa enorme na qual pescar. Na Europa não tem essa piscina religiosa e poucos convertidos em potencial. A Europa não somente se tornou extremamente secularizada, mas parte da tradição daqueles paises, é ser completamente livres de qualquer reivindicação religiosa. Para ganhar uma alma, as igrejas tiveram que ser extremamente cheias de recursos e iniciativas. Os lideres trabalham duramente, saindo, e a maioria das sementes parecem cair em solo infértil.

Eu soube que a sociedade da América é composta por dois grupos principais, os religiosos e os não religiosos, e é muito difícil para o grupo religioso invadir realmente ao outro grupo. Talvez eu esteja desinformado. Eu certamente espero que sim. No entanto, algumas pessoas consideram perda de tempo alcançar um mundo ateu. Mas quando olho as estórias emergindo da América, eu não penso que isto é impossível. Mesmo agora, Deus está ressuscitando Lázaros espirituais da morte.

Pode, contudo, ser duro ou não, alcançar os pagãos é tarefa nossa. Se as igrejas Americanas são simplesmente famílias da igreja, continuando sua existência desde pais até crianças e recebendo por troca de sociedade, então é melhor declararmos estado de emergência. Há um conselho de guerra civil – escala de guerra completa. É necessária, desesperadamente, uma volta ao nosso primário propósito de evangelizar o perdido. Somos mandados ao mundo, não somente ao reino Cristão. Somos pescadores de homens, não somente alimentadores de ovelhas. Estamos aqui para salvar a nação, não metade dela.

O mundo exterior é um lugar perigoso, um lugar de culpados e mártires. A oposição não é somente intelectual, mas é algumas vezes armado de revólveres, facas e pedras, como eu tenho visto. A questão é, aquele mundo de matança vai superar o mundo do amor de Jesus? E estamos preparados para deixar isto acontecer?

O desapontamento pode ser superado
Desapontamentos virão, mas eles não terão permissão para nos parar. Vamos voltar a João 2:23-25 e ler até 3:2, ignorando a quebra de capitulo:

“Em Jerusalém…muitas pessoas viram os miraculosos sinais que Ele estava fazendo e creram no Seu nome. Mas o próprio Jesus não confiava a eles, porque os conhecia a todos, e não necessitava de que alguém lhe desse testemunho do homem, pois bem sabia o que havia no homem. Ora, havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. Este foi ter com Jesus, de noite.”

Algumas pessoas são insípidas, superficiais e não confiáveis. Aliás, o capitulo um de João termina com Jesus descrevendo Natanael, como um Israelita sem qualquer astúcia. Nicodemos revelou-se e foi um dos homens, entre os lideres governantes de Jerusalém, a ser verdadeiro a Jesus e a se identificar com Ele após Ele ter sido crucificado.(ver Jo. 19:39,40). Algumas sementes são semeadas sem dar frutos. Algumas dão um pouco, algumas dão mais e algumas têm muito sucesso. A mesma semente, o mesmo semeador, mas diferentes solos. Tudo isto depende para quem você está pregando. Jesus não teve nenhum sucesso em uma cidade Samaritana; aliás, os moradores não O permitiram passar a noite lá. Já em Sicar foi diferente.

Mais de uma vez na África, perdemos uma grande quantidade de dinheiro investido em uma cruzada que foi cancelada no último minuto, pelo governo. Vimos revoltas como Paulo via em Efeso (ver At. 19:23-24), mas que importância tem isto? No final, nós vamos superar (ver I Jo. 4:4). Foi Jesus quem prometeu.

Frequentemente Paulo falou sobre paciência e perseverança; elas são virtudes necessárias para qualquer evangelista. Mas somente Deus as dá. Jesus exemplificou-as. E Ele disse, “Segue-me” (Mt. 4:19). Bem, Ele seguiu adiante. Então alguém deve segui-lo, e eu quero estar incluido!

No dia 19 de Abril eu comemorei meu 60° aniversário, com minha família e amigos, em nossa casa em Frankfurt. Eu me senti um pouco como o grande homem de fé da Bíblia, sobre o qual está escrito, “Era Josué já velho e avançado em anos, quando lhe disse o SENHOR: Já estás velho e avançado em anos, e ainda fica muitíssima terra para se possuir.” (Js. 13:1). Eu e todos nós vamos continuar a possuir a terra e trazer a preciosa colheita madura para nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSOS INFORMATIVOS

TOP